domingo, dezembro 18, 2011

A vida é um espelho

Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem o ser humano.

Ele respondeu assim:
- A Política sem princípios.
- O Prazer sem compromisso.
- A Riqueza sem trabalho.
- A Sabedoria sem caráter.
- Os Negócios sem moral.
- A ciência sem humanidade.
- E a oração sem caridade.

A vida me tem ensinado que as pessoas são amáveis, se eu sou amável;
- que as pessoas estão triste, seu eu estou triste;
- que todos me querem, se eu os quero;
- que todos são maus, se eu os odeio;
- que há faces sorridentes, se eu lhes sorrio;
- que há caras amargas, se estou amargo;
- que o mundo está feliz, se eu estou feliz;
- que as pessoas são terríveis, se eu sou terrível;
- que as pessoas são agradecidas, se eu sou agradecido.

A vida é como um espelho: Se sorrio, o espelho me devolve o sorriso.
A atitude que tomo frente à vida é a mesmo que a vida tomará diante de mim.
"Quem quer ser amado, que ame".

continue lendo A vida é um espelho

sexta-feira, dezembro 16, 2011

A paz

"Na tarde do mesmo dia, que era o primeiro da semana, os discípulos tinham fechado as portas do lugar onde se achavam, por medo dos judeus. Jesus veio e pôs-se no meio deles e disse-lhes: A paz esteja convosco!".
(Jo 20,19)


Certa vez, houve um concurso de pintura e o primeiro lugar seria dado ao quadro que melhor representasse a paz.

Ficaram, entre muitos, três finalistas igualmente empatados.
O primeiro retratava uma imensa pastagem com lindas flores e borboletas que bailavam no ar, acariciadas por uma brisa suave.
O segundo mostrava pássaros a voar sob nuvens brancas como a neve, em meio ao azul anil do céu.
O terceiro mostrava uma grande rochedo sendo açoitado pela violência das ondas do mar, em meio a uma tempestade estrondosa e cheia de relâmpagos.

Mas, para surpresa e espanto dos finalistas, o escolhido foi o terceiro quadro, o que retratava a violência das ondas contra o rochedo.
Indignados, os dois pintores que não foram escolhidos, questionaram o juiz que deu o voto de desempate:
- Como este quadro tão violento pode representar a paz, Sr. juiz?
E o juiz, com uma serenidade muito grande no olhar, disse:
- Vocês repararam que em meio à violência das ondas e á tempestade há, numa das fendas do rochedo, um passarinho com seus filhotes, dormindo tranquilamente?

E os pintores sem entender responderam: sim, mas...
Antes que eles concluíssem a frase, o juiz ponderou:
- Caros amigos, a verdadeira paz é aquela que mesmo nos momentos mais difíceis nos permite repousar tranquilos.
continue lendo A paz

A fé confiante


"Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca. Eis que estás gravada na palma de minhas mãos, tenho sempre sob os olhos tuas muralhas."
(Is 49, 15-16)


continue lendo A fé confiante

quinta-feira, dezembro 15, 2011

O que é Solidariedade?


"Então Pedro, aproximando-se dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete."
(Mt 18,21-22)


Solidariedade, de imediato, sugere uma atitude de interesse pelo sofrimento do outro. Mas, em sentido próprio, não se confunde com compaixão, com uma comiseração com os males alheios.

continue lendo O que é Solidariedade?

sábado, dezembro 03, 2011

O Verdadeiro Natal

"É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor."
(Mt 2,11)


Época de Natal! Essa é uma das datas mais fascinantes do ano. Todos se presenteiam, desejam coisas boas, abraçam e beijam. A família toda se reúne, dão boas risadas e ceiam juntos. Como é bom ver as crianças brincando, correndo pela sala e rasgando os pacotes dos presentes. Até mesmo o Papai Noel está presente. Que maravilha! Não se esqueceram de convidar ninguém. Quer dizer, pelo menos pensam.

continue lendo O Verdadeiro Natal

sábado, novembro 05, 2011

domingo, outubro 30, 2011

Projeto Sol


Outro trabalho do Grupo da Solidariedade é o "Projeto Sol", que trabalha com as crianças carentes de até 15 anos. O projeto iniciou-se há 2 anos e um dos fundamentos deste trabalho é evangelizar e conscientizar estas crianças sobre o mundo.

continue lendo Projeto Sol

História


O Grupo da Solidariedade surgiu a partir de uma reunião que a Sra. Nilza Helena da Costa Borges realizou em sua residência, com algumas amigas, para comemorar a reconstrução de parte da sua casa que havia incendiado.

A reunião foi tão boa que as amigas resolveram realizá-la mensalmente mas com um objetivo solidário. Desta forma, a partir do ano de 2000, esse grupo de amigas se autodenominaram Grupo da Solidariedade e combinaram de levar, cada reunião, 1 quilo de alimento para formar cestas básicas e distribuíram para famílias carentes.

Um ano após o início dessas reuniões, o grupo de amigas já havia aumentado e resolveram realizar um almoço mensal em uma Casa de Sopa de um bairro carente da cidade, sendo que a cada mês seria em um bairro diferente. Ao longo de cada ano, então, estavam sendo realizados 12 almoços em 12 bairros da cidade.

Este trabalho prosseguiu até o ano de 2009 quando a Sra. Nilza, observando o número de crianças que vinham à sua casa para brincarem em sua garagem, resolveu chamar suas amigas Ângela Morais e Zizi para iniciarem o trabalho de Contação de Estórias, baseadas na Educação em Valores Humanos.

Desta forma, a partir de setembro de 2009, deu-se início ao Projeto Sol, onde um grupo de pessoas de diversas profissões, tais como: 1 fisioterapeuta, 1 enfermeira, 1 assistente social, 2 donas de casa, 1 treinador (adestrador) de cães, 1 professora, 1 cabeleireira, 1 contadora de Estórias e 1 sargente da Polícia Militar, professor do PROERD, abraçaram a causa e iniciaram um trabalho de orientação, recreação e assistência fundamentadas na Educação em Valores Humanos (éticos e morais).

Este trabalho tornou-se muito importante porque tais crianças residem no conhecido "Corredor das Batatas" onde são comuns eventos de tráfico de drogas, alcoolismo, prostituição de adolescentes etc, no Bairro Santo Antônio, e onde as famílias, por serem desestruturadas, não conseguem oferecer a seus filhos os valores morais e espirituais que possibilitem às suas crianças um futuro melhor.

A partir do ano de 2010 foi iniciado um novo Projeto: "Filhos de Maria", onde a Sra. Nilza mais algumas outras amigas começaram a oferecer um lanche para os alcoólatras que se reunião na esquina de sua casa, perto da sede do Grupo da Solidariedade. Este grupo de homens que acabavam dormindo e passando os dias nesta esquina foram recebidos com todo o carinho e atenção para serem ouvidos, amparados e aconselhados em conversas longas e acolhedoras. Aos poucos o grupo de amigas foi ganhando a confiança dessas pessoas que já haviam sido abandonadas por suas famílias por falta de esperança na regeneração de seus vícios.

Hoje em dia, esses "alcoólatras" não estão ainda "curados", mas já conseguem prestar pequenos serviços em algumas atividades do Grupo, cultivando hortas, na limpeza e até mesmo na sopa fraterna.

Aos domingos, quando o trabalho com as crianças é realizado, é servido um café da manhã e sopa no almoço e muitos desses "dependentes do álcool" vem tomar um chá, comer alguma coisa, ou tomar um prato de sopa.

O Grupo também desenvolve alguns trabalhos para envolver as famílias tanto das crianças como dos dependentes, tais como: chá fraterno mensal para as donas de casa, com palestras, dinâmicas, atividades hídricas e assistência do grupo do PSF do bairro para medir pressão arterial e taxa de glicose; aplicação de REIKI semanalmente para qualquer interessado; exercícios de alongamento e aulas de artesanato e violão.

Hoje em dia, não são realizados mais almoços mensais e nem são mais distribuídas cestas básicas.

Entretanto, o Grupo realizou uma parceria com o CONSEP para a realização de serviços gerais na sua sede pelos apenados do regime semi-aberto.

O Grupo realizou também, uma parceria com a UNIUBE, em que 03 estagiários de psicologia realizam um trabalho com as crianças, aos sábados, para tentar diagnosticar as dificuldades que as crianças possam apresentar no desempenho escolar e no relacionamento familiar.

continue lendo História