quarta-feira, agosto 29, 2012

Escuta-me, Deus!





Prece encontrada no bolso de um soldado americano, morto em combate. Extraída da revista Boa Vontade n° 26.






Escuta-me, Deus! Jamais falei contigo... Hoje quero saudar-Te: como vais?
Tu sabes... Disseram-me que não existias...
E eu, tolo, acreditei que era verdade...
Eu nunca havia olhado Tua grande obra...
Eu, ontem à noite, da cratera aberta por uma granada, vi Teu Céu estrelado e compreendi que havia sido enganado...
Eu não sei se Tu, Deus, apertarás a minha mão, mas vou explicar-Te, e me compreenderás.
É bem curioso: neste horrível inferno, encontrei a luz para olhar Tua face...
Depois disso, não tenho muito a dizer-Te, a não ser que me alegro de Te haver conhecido.
Depois da meia-noite haverá ofensiva, mas não a temo, pois sei que Tu vigias.
O sinal! Bem, meu Deus, já tenho de ir-me...
Apeguei-me a Ti... Queria dizer-Te, ainda, que, como sabes, haverá luta cruenta, e talvez esta noite baterei à Tua porta...
Embora não tivéssemos sido amigos, sei que permitirás que eu entre, se a Ti chegar.
Mas.... estou chorando... Bem vês, me Deus, que já não sou tão ímpio...
Bom Deus! preciso ir-me... Boa sorte!

É estranho... Mas agora já não temo a morte!

0 comentários:

Postar um comentário