domingo, junho 02, 2013

O bem é muito simples

É provável que você ainda não tenha percebido o valor do sorriso. Esse conjunto de peroladas gemas que você traz na boca, ao se mostrar no impulso da sua alegria, é capaz de mover incríveis obstáculos, de transformar ocorrências ou de iluminar vidas e vidas.

É muito fácil sorrir. O sorriso é muito simples. É como respirar...

Compreensível é que você se sinta tímido para operar uma pequena gentileza por falta de hábito: ceder um assento a alguém, conduzir um fardo para algum idoso, gestante ou para quem esteja com dificuldades, prestar uma informação com boa vontade ou silenciar diante de alguma provocação maligna. Afinal, nas vias terrenas, a esperteza criminosa, a pornografia granfina, a violência diária, o desequilíbrio, enfim, é que costumam receber aplauso, merecer páginas de jornais e virar notícia de televisão quase sempre.



Pense, porém, que é imprescindível que a gente aprenda a criar intimidade com a bondade. Torna-se muito simples fazer o bem, desde que você não esteja assoberbado por mágoas, por culpas, por anseios gananciosos ou por estados de rebeldia íntima.

No esforço de aproveitar cada um dos seus dias, faça o bem que puder, qualquer que ele seja, onde você estiver, porque o bem responde sempre com novo bem, que se dirige, invariavelmente, às pessoas que lhe deram nascedouro.

Muito bom e fácil se der desenvolvido é o ato voltado para a bondade, para a benignidade, para a gentileza em qualquer nível. Praticar o bem em qualquer das suas dimensões, seja objetiva ou subjetivamente, significa acumular alegria e harmonia no próprio coração.

Escrito Raul Teixeira, do Livro "Ações corajosas para viver em paz".

0 comentários:

Postar um comentário