quinta-feira, maio 11, 2017

7ª Festa Junina Solidária - Grupo da Solidariedade



Com o intuito de arrecadar fundos para manter a instituição, o Grupo da Solidariedade realiza há 7 anos a Festa Junina Solidária. 



A Festa acontece todo ano no segundo sábado de Julho na rua da nossa instituição, e torna a noite de lua cheia de diversas famílias ainda mais iluminada!



Este ano, a Festa Junina Solidária acontecerá em dois dias (sábado e domingo), sendo no domingo um almoço especial com cardápio ainda a definir.


E mais uma vez, contamos com o apoio da TV Integração - Afiliada Globo através do Circuito Junino para a divulgação deste evento, e do Grupo Unidos pelo Bem.

Em breve mais informações!


Vamos lembrar de alguns momentos dos anos passados? Veja as fotos que estão na nossa página do Facebook:
continue lendo 7ª Festa Junina Solidária - Grupo da Solidariedade

terça-feira, maio 09, 2017

Gente do Bem

Matéria realizada pela Revista Identidade (Março/2017). Escrita por Fernanda Macedo.

Até que ponto somos capazes de dividir algo com pessoas desconhecidas sem esperar nada em troca?

Solidariedade e empatia. Duas palavras que andam lado a lado. Isso porque “ser solidário” é “ser luz, ser ajuda”, é lutar pelo outro independente de qual necessidade o outro esteja passando e ter empatia é a capacidade psicológica para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. 

A razão pela qual uma ou várias pessoas agem de maneira espontânea, imparcial e generosa não é somente buscar o bem-estar do próximo, mas o de si mesmo. É saber que, ao final, o doar-se por amor torna-se uma qualidade que dignifica o ser humano.

Possibilidades transformadoras são construídas por laços de solidariedade. Comunhão?! Amor?! Sim! É o combate à miséria humana e social.

E foi pensando assim e sentindo todos esses sentimentos benignos que surgiu, em Araxá, o Grupo da Solidariedade.

Tudo começou em 2000, quando a Sra. Nilza Helena da Costa Borges juntamente com as amigas, num chá comemorativo pela reconstrução de parte da sua casa que havia incendiado, tiveram a ideia de se encontrar mensalmente e formarem cestas básicas destinadas à doação para famílias carentes da cidade.

No ano seguinte, as cestas continuavam a serem formadas, mas, com mais adeptos à ideologia, surgiu uma nova ação. Foi idealizado e concretizado um almoço mensal, em diferentes bairros carentes. E daí esse grupo passou a chamar-se Grupo da Solidariedade.

Curiosa foi a inserção das crianças nesse formidável projeto. Em 2009, algumas delas, moradoras também da vizinhança, brincavam na garagem de D. Nilza, o que foi tornando-se constante. Aproveitando o ensejo, convidou algumas amigas contadoras de história, Ziameri Pereira (Zizi) e Ângela Morais para contarem histórias baseadas na Educação em Valores Humanos para a criançada, projeto que se denominou Projeto SOL.

Desta forma, pessoas de diversas profissões, tais como fisioterapeuta, enfermeira, assistente social, treinador (adestrador) de cães, professora, cabeleireira, contadora de estórias, sargento da Polícia Militar (professor do PROERD) e donas de casa abraçaram a causa e iniciaram um trabalho de orientação, recreação e assistência fundamentadas na Educação em Valores Humanos (éticos e morais).

Inserindo mais um problema social nas atividades ao perceberem dificuldades quanto às drogas ilícitas e ao álcool, em relação à população local, a partir do ano de 2010 foi iniciado um novo Projeto: "Filhos de Maria", onde a Sra. Nilza mais algumas outras amigas começaram a oferecer um lanche para os alcoólatras que se reuniam na esquina de sua casa, perto da sede do Grupo da Solidariedade. Este grupo de homens que acabavam dormindo e passando os dias nesta esquina foram recebidos com todo o carinho e atenção para serem ouvidos, amparados e aconselhados em conversas longas e acolhedoras. Aos poucos, o grupo de amigas foi ganhando a confiança dessas pessoas que já haviam sido abandonadas por suas famílias por falta de esperança na regeneração de seus vícios.

Esses "alcoólatras" não estão ainda "curados", mas já conseguem prestar pequenos serviços em algumas atividades, cultivando hortas da casa, na limpeza e, até mesmo, na sopa fraterna.

Aos domingos, quando o trabalho com as crianças é realizado, é servido um café da manhã e sopa no almoço e muitos desses "dependentes do álcool" vem tomar um chá, comer alguma coisa ou tomar um prato de sopa.

TIRUGA - FALA DA SRA. NILZA HELENA:

“Um dos nossos assistidos, sempre participou de todas as atividades propostas e conseguiu se libertar do vício do álcool. Tirou todos os documentos e encontra-se trabalhando.”

Pensando num espaço mais amplo e proveitoso, em 2012, os coordenadores do grupo reuniram-se e resolveram alugar a casa ao lado da casa da Sra. Nilza Helena. Dividiram as despesas quanto a esse aluguel. Nesse mesmo ano, o Estatuto do Grupo da Solidariedade foi registrado em cartório, demonstrando, então, sua seriedade.

Ano importante, foi quando a Prefeitura Municipal de Araxá reconheceu a “Utilidade Pública” do grupo, que se deu em 2014.

Na mesma época, fizeram um convênio informal com a equipe das Obras Sociais Auta de Souza objetivando dar continuidade ao projeto SOL em virtude da falta de voluntários frente ao número de crianças atendidas.

Com essa parceria, o trabalho com as crianças fundamenta-se nos ensinos de Jesus, proporcionando um desenvolvimento moral e espiritual, formação e consolidação do caráter de cada uma delas. Os grupos são divididos por faixas etárias, atendendo bebês até adolescentes de 17 anos.

Com o passar dos anos, as cestas e os almoços deixaram de ser oferecidos por questões particulares, mas tantas outros trabalhos que envolvem tanto os familiares das crianças quanto dos dependentes continuam a serem desenvolvidos, tais como o chá fraterno mensal para as donas de casa, com palestras, dinâmicas, atividades hídricas e assistência do grupo do PSF do bairro para medir pressão arterial e taxa de glicose; aplicação de REIKI semanalmente para qualquer interessado; exercícios de alongamento e aulas de artesanato e violão, assim como aulas de capoeira.

Além disso, o grupo realizou uma parceria com o CONSEP para a realização de serviços gerais na sua sede pelos apenados do regime semiaberto.

Outra parceria realizada foi com a UNIUBE, na qual três estagiários de Psicologia realizam um trabalho com as crianças, aos sábados, para tentar diagnosticar as dificuldades que as mesmas possam apresentar no desempenho escolar e no relacionamento familiar.

No site do projeto, www.gruposolidariedade.com , é possível encontrar informações históricas, atividades realizadas, localização, público assistido, campanhas e contato, caso queira ser uma parceiro solidário.


Franz Kafka já dizia: “A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana.”.


continue lendo Gente do Bem