terça-feira, maio 29, 2018

segunda-feira, maio 28, 2018

Terapia Bordado Solidário

Segunda-feira é dia de bordado!

Toda segunda-feira às 14 horas o Grupo da Solidariedade se reúne para a confecção de bordados. A confecção é realizada em casa de amigas e o resultado é doado para as famílias carentes.

A iniciativa também serve de terapia e conversa fraterna para as senhoras, uma vez que algumas delas não há como se locomover para outros locais.

Confira o vídeo da semana sobre o Bordado Solidário com a voluntária Zizi:



Veja algumas fotos:



Faça-nos uma visita!
continue lendo Terapia Bordado Solidário

terça-feira, maio 22, 2018

quinta-feira, maio 17, 2018

PODE SER ABUSO: descubra os sinais


Durante toda a semana deste mês de maio (14 a 18 de Maio) traremos como pauta o Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

E hoje vamos entender sobre alguns sinais que podem indicar que a criança e/ou o adolescente está sofrendo algum tipo de Abuso.

A matéria é da Fundação Abrinq.



Abuso sexual é crime, denuncie! Disque 100. A ligação é gratuita e anônima. Se preferir, denuncie no Conselho Tutelar ou nas delegacias da sua cidade.
continue lendo PODE SER ABUSO: descubra os sinais

quarta-feira, maio 16, 2018

O QUE É ABUSO?

O que é abuso sexual infantil?
O abuso sexual infantil é uma forma de violência devastadora, pois muitas vezes ocorre em conjunto com outras violações dos direitos da criança e do adolescente, tais como o abuso psicológico, a agressão física, negligência, humilhação e até mesmo o atentado contra a vida, saúde e integridade das vítimas.
Quando ocorre, independentemente da frequência, pode deixar sequelas por muito tempo no desenvolvimento físico e emocional de quem é atingido, comprometendo sua vida e interação social em mais de um aspecto.
Existem duas principais formas de violência sexual, sendo uma delas o abuso sexual, e a segunda a exploração sexual de menores, com finalidades de ganho financeiro.
É possível entender o abuso sexual infantil como qualquer ato ou relação sexual que busque estimular ou entrar em contato com a sexualidade da criança ou adolescente, para estímulo, prazer ou satisfação sexual de adultos.
Para ser considerado abuso sexual infantil, no entanto, não é preciso existir somente o contato físico ou a relação sexual em si: carícias inadequadas, chamadas telefônicas obscenas, mensagens de texto, imagens ou interação digital sexualizada, expor-se a uma criança ou adolescente, relação ou estimulação sexual ou qualquer outra conduta sexual prejudicial ao bem-estar mental, emocional ou físico de uma criança, são consideradas abuso, portanto, crimes previstos em Lei.
Também no entendimento legal, não é considerada válida nenhuma forma de consentimento entre as partes nestes casos, pois tratam-se de menores de idade, sendo o adulto, em sua função de proteger e impedir situações deste tipo, sempre o responsável pelo crime.
As dinâmicas que cercam o abuso sexual infantil muitas vezes são complexas, pois envolvem relações de poder, autoridade e até manipulação por parte de adultos; o que faz, muitas vezes, com que este tipo de violência permaneça oculto e em segredo, de forma que a própria criança é impedida ou não consegue expor e denunciar o fato.
Por isso, toda informação que esclareça a sociedade e todos os grupos de convívio mais próximo das crianças a este respeito é de extrema utilidade para que os casos de abuso sejam identificados, e que a infância e adolescência seja amparada da melhor forma possível nestas ocasiões.
Abuso sexual é crime, denuncie! Disque 100. A ligação é gratuita e anônima. Se preferir, denuncie no Conselho Tutelar ou nas delegacias da sua cidade.
continue lendo O QUE É ABUSO?

terça-feira, maio 15, 2018

Semana de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes



Com o objetivo de mobilizar a sociedade brasileira e convocá-la para o engajamento contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes, 18 de maio foi estabelecido como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Apenas no ano de 2014 foram registradas 24.575 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil. Desses casos, 19.165 foram de abuso e 5.410 de exploração sexual infantil. 

Dados como esses, divulgados pelo Disque Direitos Humanos, evidenciam como é importante combater essa realidade. E maio é o mês dessa luta. 

Por que 18 de maio?
Neste dia, em 1973, uma menina de 8 anos, de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores nunca foram punidos. 
Com a repercussão do caso, e forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então, esse se tornou o dia para que a população brasileira se una e se manifeste contra esse tipo de violência. 

O que é violência sexual?
É a situação em que a criança ou o adolescente é usado para o prazer sexual de uma pessoa mais velha. Ou seja, qualquer ação de interesse sexual, consumado ou não.

É uma violação dos direitos sexuais das crianças e adolescentes, porque abusa ou explora do corpo e da sexualidade, seja pela força ou outra forma de coerção, ao envolver crianças e adolescentes em atividades sexuais impróprias à sua idade, ou ao seu desenvolvimento físico, psicológico e social. 

Abuso x Exploração
A violência sexual pode ocorrer de duas formas distintas. Abuso sexual é qualquer forma de contato e interação sexual entre um adulto e uma criança ou adolescente, em que o adulto, que possui uma posição de autoridade ou poder, utiliza-se dessa condição para sua própria estimulação sexual, da criança ou adolescente, ou ainda de terceiros, podendo ocorrer com ou sem contato físico. 

Já a exploração se caracteriza pela utilização sexual de crianças e adolescentes com a intenção de lucro, seja financeiro ou de qualquer outra espécie. São quatro formas em que ocorre a exploração sexual: em redes de prostituição, pornografia, redes de tráfico e turismo sexual. 

Prevenção
A melhor maneira de se combater a violência sexual contra crianças e adolescentes é a prevenção. É necessário um trabalho informativo junto aos pais e responsáveis, a sensibilização da população em geral, e dos profissionais das áreas de educação e jurídica, com a identificação de crianças e adolescentes em situação de risco, e o acompanhamento da vítima e do agressor. 

Denuncie
Além da prevenção, o combate a essa realidade exige que os casos sejam denunciados. Portanto, se souber de algum caso de violência sexual infantil, procure o conselho tutelar, delegacias especializadas, polícias militar, federal ou rodoviária e ligue para o Disque Denúncia Nacional, de número 100. 


Matéria retirada do site: 

https://www.fadc.org.br/noticias/113:18-de-maio-o-dia-nacional-de-combate-ao-abuso-e-a-exploracao-sexual-contra-criancas-e-adolescentes
continue lendo Semana de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes